Quem precisa de inovação?

Marketing de serviço, por que é tão complicado vender?
12 de março de 2014
Para o resultado, o treinamento
14 de março de 2014

Para iniciar este texto, gostaria de propor que você nos diga, verdadeiramente, a resposta para este dilema: Será mesmo que a inovação está restrita a um seleto grupo de pessoas, como Thomas Edison e seu chefe, ou é você que está com medo do novo?

O correto é que a todo o momento estamos lidando com a inovação. Este ritmo cada vez mais intenso de nossas vidas está indicando que o normal são as mudanças permanentes. E com isso, caímos em outro dilema: apostar em inovação e desenvolvimento ou apenas sobreviver?

O certo é que para obter o sucesso, devemos ter em mente que as vantagens competitivas de hoje não serão as mesmas de amanhã. Fazer tudo certo pode deixar uma empresa de sucesso suscetível ao ataque de um inovador disruptivo, que muda o jogo com uma solução simples e acessível (Clayton Christensen)

Daí a necessidade de se ousar mais. A inovação não é um exercício acadêmico em que você somente estuda e nunca põe a prova. A inovação é uma atividade que exige ação, realizar, fazer acontecer. Quando você busca por dicas para inovar sempre aparecem às clássicas: experimente novos desafios, questione mais, esteja sempre atento, faça network e etc… Mas a verdadeira dica para a inovação, em minha opinião, é que ela é de graça! Isso mesmo, 0800, ter uma ideia nova sobre um conceito antigo não lhe custa nada.

Para incentivar e expandir a nossa capacidade criativa, devemos lembrar porque estas competências estão sendo tão importante nos dias de hoje. Desde que alteramos nosso escopo de trabalho: de foco na padronização e nos processos para foco nas pessoas. Então será que o seu problema não é meu também e de outras pessoas no mundo?

Pense nisso e se torne o novo Steve Jobs.

Mas, afinal, Quem precisa de inovação? Apenas aqueles que almejam o sucesso. Você concorda?

Fonte: http://www.apeme.com.br/artigo/quem-precisa-de-inovacao-/