Como o investimento em TI tem mantido empresas ativas durante a crise

Entenda por que a tecnologia da informação gera vantagem competitiva
4 de setembro de 2017
Como a tecnologia ajuda na gestão de fornecedores?
5 de setembro de 2017

Mesmo com os cortes de custos, grandes e pequenas empresas continuam investindo em tecnologia. O motivo? Produtividade.

Segundo pesquisa da consultoria Delloite, seis em cada dez executivos colocaram seus recursos na infraestrutura de tecnologia da informação. Pelo menos 7,6% de suas receitas líquidas foi concentrada no investimento tecnológico. A previsão é de que, em 2017, 133 bilhões de reais sejam investidos em tecnologia no Brasil.

A tendência é mundial. Os gastos com tecnologia aumentam anualmente, e a evolução segue no mesmo caminho. Novas tecnologias, atualizações sofisticadas e inovações surgem a todo momento, assim como a necessidade delas. Nos Estados Unidos, empresas já investem 700 bilhões de dólares por ano em tecnologia.

O investimento pode ser alto, mas vale a pena. De acordo com a FGV, para cada 1% investido em TI, o retorno é de 7% a mais nos lucros.

 

Novos investimentos, novos projetos

Além do investimento, outro número sobe nos setores de TI das empresas: a quantidade de projetos. No banco Santander Brasil, são 450, e umas das principais mudanças no pensamento da empresa foi dar autonomia aos times.

Segundo Marino Aguiar, vice-presidente de tecnologia do banco, muitas decisões passaram a ser tomadas por funcionários próximos à execução dos projetos. Com isso, decisões que antes precisavam do aval de comitês e dias para uma resposta, passaram a ser tomadas em reuniões diárias de 15 minutos do time.

 

Complexidades não significam barreiras na inovação

Apesar de ser mais complexa, a atualização da área de TI em empresas que crescem através de fusões também é benéfica, como é o caso da operadora Telefônica após a aquisição da Vivo em 2011 e da GVT em 2014. A companhia produz uma série de projetos para simplificar e integrar todos os sistemas, com cerca de 60% dos investimentos da área de TI destinados a digitalizar os serviços oferecidos. Segundo Alessandra Bomura, vice-presidente de TI na empresa, o foco está nos resultados que esse investimento traz.

 

E quando a crise passar?

Pensar no futuro também faz com que o investimento em TI continue crescendo. Segundo a pesquisa feita pela consultoria EY entre 900 executivos globais, 43% pretende investir na transformação digital nos próximos anos. Empresas como a Reckitt Benckiser destinaram sete vezes mais do orçamento para melhorar o desempenho de vendas online. Para aumentar a presença da marca na internet, um time com profissionais de vendas, marketing e finanças foi montado junto à equipe de TI, e a expectativa é de que as vendas online representem 20% da receita no Brasil.

Na seguradora suíça Zurich no Brasil, não foi diferente. O orçamento para TI cresceu 50% em relação a 2016. Com investimentos em inteligência artificial, a empresa já vê os resultados com processos mais rápidos e maior satisfação do cliente.

Garantir a sobrevivência durante a crise é importante, mas assegurar o crescimento depois dela é essencial, e os investimentos em tecnologia são o olhar do futuro.

 

Fonte: Revista Exame