7 passos para otimizar a sua gestão de cadeia de suprimentos

Entenda quais as principais obrigações fiscais da empresa atualmente
25 de dezembro de 2018
Como calcular ICMS da nota fiscal? Descubra aqui!
27 de dezembro de 2018

Certamente, uma boa gestão de cadeia de suprimentos é um dos pilares de qualquer empresa competitiva no atual panorama. Afinal, é a partir de boas práticas de gerenciamento que se pode garantir vantagem estratégica e obter a maior taxa de retorno possível.

Porém, não basta existir uma cadeia logística para que os resultados sejam alcançados com eficiência. É necessário melhorar o processo como um todo, a fim de evitar desperdícios no estoque, atender às demandas dos consumidores, controlar a relação com os fornecedores, entre outros aspectos.

Por isso, no artigo de hoje, separamos 7 importantes passos para melhorar a sua gestão de cadeia de suprimentos e proporcionar ganhos exponenciais de produtividade à sua empresa. Então, continue a leitura e entenda mais!

1. Melhore sua previsão de demandas

Em uma empresa, uma das maneiras mais eficazes de reduzir gastos desnecessários e desperdícios de recursos é por meio da previsão de demandas, já que, assim, pode-se minimizar os custos com estoque.

A ideia consiste, basicamente, em realizar análises pertinentes ao histórico de vendas do negócio e identificar períodos de sazonalidade, de modo que, dessa forma, seja possível fazer projeções precisas a respeito de demandas futuras.

Além disso, vale ressaltar que a otimização dos fluxos de comunicação entre a área comercial e a operacional é um dos princípios para compreender as necessidades dos clientes da empresa e melhorar a tomada de decisões.

2. Tenha total controle de seus fornecedores

Fornecedores devem ser encarados como sócios do negócio. Por isso, a relação com eles deve ser constantemente monitorada, a fim de que se torne possível garantir, além da qualidade de seus produtos e serviços, as melhores condições de pagamento e preços competitivos.

Portanto, é altamente recomendado que políticas de desenvolvimento para controlar os processos relacionados a esses prestadores de serviços sejam estabelecidas. Entre elas, podemos destacar:

  • práticas sustentáveis;
  • qualificações de mercadorias;
  • cumprimento dos prazos de entrega;
  • certificações de qualidade.

Fica a critério da organização a frequência com que o monitoramento desses e de outros aspectos é realizado. Vale destacar que as atitudes do fornecedor exercem influência direta na gestão de cadeia de suprimentos.

3. Integre todos os departamentos da cadeia logística

Integrar os diversos departamentos da cadeia logística não é um mero capricho dos gestores, mas, sim, uma maneira de promover melhorias às atividades essenciais da empresa. Isso porque, com essa integração, pode-se compartilhar informações úteis entre os setores e garantir a eficiência das operações.

Para tanto, é fundamental ter uma comunicação fluida e saber se todos os colaboradores estão atualizados a respeito do planejamento estratégico do empreendimento. É o caso, por exemplo, da atualização de informações a respeito da previsão de demanda.

Os fornecedores e os responsáveis pelo estoque também integram a cadeia logística, portanto devem se manter devidamente informados e sempre atualizados a respeito do volume de recebimentos, e assim por diante.

4. Padronize os processos internos

Normatizar procedimentos é uma das formas mais seguras e eficazes de promover melhorias na gestão de cadeia de suprimentos, pois garante mais facilidade no controle dos processos e na coleta de dados.

O objetivo deve ser alcançar uma visualização consideravelmente mais ampla de todos os procedimentos e de metodologias ligadas às tarefas operacionais, identificando tudo o que pode ser melhorado. Além disso, padronizar os processos internos é uma forma de torná-los mais produtivos e escaláveis e de aumentar a praticidade de sua execução.

Entretanto, é preciso mencionar que a tarefa de padronizar a cadeia logística como um todo pode não ser tão simples, por isso a implementação de ferramentas modernas pode fazer toda a diferença — sobre isso, falaremos mais adiante no conteúdo.

5. Terceirize as atividades secundárias

É muito comum nos depararmos com empresas que tentam realizar todas as etapas da cadeia logística sozinhas, o que acaba sobrecarregando seus colaboradores, atrasando prazos de produção e, até mesmo, afetando a qualidade dos produtos ou serviços desenvolvidos.

Para evitar esse tipo de problema, pode-se contar com a terceirização das atividades secundárias, ou seja, aquelas que são repetitivas ou de menor relevância para os resultados finais da operação (pagamentos de contas, questões administrativas, gestão de informações etc).

Apesar de parecer que o uso dos recursos internos da empresa é sempre a melhor opção para efetuar atividades dessa natureza em prazos curtos, é importante ressaltar que as tarefas secundárias podem ser confiadas a empresas especializadas.

Os efeitos da terceirização, no médio e no longo prazo, são altamente benéficos para a companhia, já que ela pode centralizar seus esforços no core business e focar em melhorar a qualidade de suas demandas, por exemplo.

6. Otimize o controle de estoque

Gerenciar o controle de mercadorias ou matérias-primas é um dos aspectos de maior relevância na gestão de cadeia de suprimentos, na medida em que, se os itens armazenados atingirem níveis muito baixos, as vendas e a produção podem ser prejudicadas, ocasionando a perda de oportunidades no mercado.

Da mesma forma, produtos parados no estoque são sinônimo de altos custos, de desperdício de recursos e, consequentemente, de prejuízos para a organização. Assim sendo, é imprescindível aliar o gerenciamento de estoque à gestão de compras, previsão de demanda e produção adequada, já que o intuito é melhorar o dimensionamento e torná-lo coerente ao índice de vendas.

Lembrando que um controle de estoque eficiente, além de considerar entradas e saídas, faz inventários com o objetivo de identificar a natureza dessas movimentações e minimizar perdas e desvios.

7. Utilize a tecnologia a seu favor

Para finalizar, não poderíamos deixar de citar a importância do uso de uma ferramenta tecnológica em toda a otimização da gestão de cadeia de suprimentos. Afinal, a implementação de um software que integra os mais variados setores da empresa fornece auxílio ao controle de informações com eficiência e fluidez.

Entre os benefícios que um sistema integrado pode oferecer, podemos citar:

  • eficiência na gestão de compras — possibilita a comparação de dados e o entendimento sobre quando é necessário repor cada produto;
  • facilidade no controle de estoque — melhora o mapeamento da localização de cada item estocado. Além de gerar relatórios com dados sobre cada mercadoria, ele também reduz desperdícios e evita a ausência de produtos;
  • acompanhamento de atividades — otimiza o controle de informações a respeito dos horários de entrega e recebimento, funções executadas, número de mercadorias, intervalos etc.

Como você conferiu, a gestão de cadeia de suprimentos é composta por uma série de medidas estratégicas e amplo conhecimento a respeito dos processos operacionais da empresa. Com o auxílio da tecnologia, toda a cadeia logística pode ser agilizada e a eficiência dos procedimentos assegurada.

Agora que você já entende mais sobre quais são os principais passos para otimizar a gestão de cadeia de suprimentos, saiba também como um sistema de ERP pode ajudar no controle de logística!